Blefaroplastia

Cirurgia plástica das pálpebras

Fatores como idade, textura da pele, distúrbios da acuidade visual ou problemas emocionais poderão deixar marcas na área das pálpebras. Quando você for examinado(a) pelo cirurgião plástico, ele fará uma análise profunda, para intervir somente naqueles setores que possam se beneficiar com a cirurgia.

Muitas vezes o problema das pálpebras ocorre devido a fatores clínicos,(olheiras, edemas) não estando indicada a blefaroplastia. Outras vezes, os problemas clínicos estão associados ao anatômico, e mesmo que se realize a cirurgia das pálpebras, ainda assim persistirá um percentual do defeito original, decorrente do distúrbio clínico associado.

A cirurgia plástica das pálpebras corrige apenas os excessos de pele, gordura e flacidez muscular do território palpebral, podendo em certos casos, melhorar o aspecto funcional além do estético. Ela não deverá acarretar prejuízo funcional das pálpebras, desde que a evolução pós-operatória seja normal. As perguntas mais comuns quanto a esta cirurgia são:

1. EXISTE UMA IDADE IDEAL PARA SE OPERAR AS PÁLPEBRAS?
R: A partir dos 30 anos algumas pessoas já apresentam dobras na pele das pálpebras superiores, sendo esta então a mais precoce cirurgia para rejuvenescimento facial.

2. AS CICATRIZES SÃO VISÍVEIS? ONDE SE LOCALIZAM?
R: Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas e quase invisíveis no sulco do globo ocular superior e na margem dos cílios na pálpebra inferior. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação das cicatrizes (3 meses).

3. QUAL O TIPO DE ANESTESIA?
R: Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob anestesia local (em alguns casos, com uma sedação endovenosa). Dependendo da vontade do paciente, poderão ser feitas sob anestesia geral. Reserva-se esta última conduta para os casos em que clinicamente está contraindicada a anestesia local ou mesmo, quando a blefaroplastia esteja sendo feita simultaneamente a outras cirurgias.

4. HÁ DOR NO PÓS-OPERATÓRIO?
R: Geralmente não. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos comuns. Seu médico lhe prescreverá aquele mais indicado. Não se automedique.

5. OS OLHOS FICAM INCHADOS MUITO TEMPO?
R: O edema (inchaço) nas pálpebras varia de paciente para paciente. Alguns(mas) já no 7º dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros irão atingir este resultado após 15 dias. O(A) paciente deverá usar compressas frias várias vezes nas primeiras 48 horas para diminuir o edema e as equimoses (manchas roxas). O uso de óculos escuros é útil nesta fase. Em alguns casos um edema residual persiste por até 60 dias, mas some após este tempo.

6. QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?
R: Anestesia local: 4 horas. Anestesia geral: 12 horas.

7. QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?
R: Normalmente, em torno de 60 minutos. Dependendo do caso, existem detalhes que podem prolongar este tempo.

8. O QUE SÃO AS MANCHAS AVERMELHADAS OBSERVADAS EM CERTOS CASOS?
R: Nada mais são do que a infiltração do sangue na pele subjacente ou mesmo na conjuntiva ocular e são devidas ao próprio trauma cirúrgico. Isto, entretanto, não constitui qualquer problema futuro e não é considerado como complicação, mas sim, uma intercorrência transitória e reversível.

9. QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?
R: Após o 3º. mês. Entretanto, após o 8º dia já terá aproximadamente 50% do resultado almejado, sendo que nas 2 ou 3 semanas subsequentes esse percentual tende a melhorar acentuadamente. Os “pés de galinha”, mesmo operados, nunca desaparecerão totalmente devido à ação do músculo orbicular e à perda da elasticidade da pele remanescente.

10. OS OLHOS FICARÃO OCLUÍDOS APÓS A CIRURGIA?
R: Não. Alguns cirurgiões, entretanto, preferem a oclusão dos olhos no pós-operatório

RECOMENDAÇÕES PRÉ- OPERATÓRIO:

Trazer óculos escuros.
Compareça acompanhado(a) para a internação.

RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIO:

Compressas com água fria sobre os olhos poderão ser úteis para diminuir o tempo de edema e proporcionar certo conforto pós-operatório.
Usar óculos escuros quando se expuser à luz natural e ao vento.
Evitar sol, vento e friagem por 8 dias.
Não traumatizar nem coçar os olhos.
Dependendo da evolução pós-operatória, você poderá voltar às suas atividades normais após 2 a 3 dias.