Informação da consulta para lipoaspiração

INFORMAÇÕES MÉDICAS DA CONSULTA PARA LIPOASPIRAÇÃO

Lipoaspiração é a cirurgia de sucção de gordura corporal subcutânea.

ÁREAS CORPORAIS POSSÍVEIS PARA LIPOASPIRAÇÃO

As áreas corporais que serão lipoaspiradas são escolhidas pela(o) paciente em acordo com o médico. O cirurgião pode lipoaspirar as seguintes regiões:

  • Abdômen: periumbilical, epigastro (região do estômago) e hipogastro (abaixo do umbigo)

  • Cintura: lateral do tronco: “pneus”

  • Flancos: laterais do tronco, acima dos “pneus”

  • Culotes: laterais dos glúteos, parte alta das coxas

  • Púbis (monte de Vênus)

  • Subglúteos: quando houver dobras abaixo dos glúteos, atrás das coxas

  • Coxas: regiões internas entre as pernas

  • Joelhos: áreas internas e posteriores

  • Costas: lateral das mamas para trás

  • Braços: face interna, abaixo das axilas

  • Submento (queixo) e pescoço

  • Região peitoral (homens), e mamas (em alguns casos)

  • Região sacral: acima do bumbum

Para cirurgias em apenas uma destas regiões o cirurgião poderá optar pela anestesia local, aquela quando o cirurgião aplica diretamente o anestésico na área que será lipoaspirada. Caso contrário, a anestesia peridural ou geral, aplicadas por um anestesista, será a melhor, podendo aspirar um pouco em cada uma das regiões.

O cirurgião utilizará um vibrolipoaspirador, aparelho elétrico que vibra a ponta de cânulas que variam de 2,5 a 5 mm de espessura, aspirando o tecido gorduroso. A camada de gordura aspirada corresponde somente a gordura subcutânea, aquela grudada sob a pele. Já a gordura visceral que está dentro do abdômen, junto às vísceras, é aquela que torna as pessoas barrigudas e só pode ser perdida com uma dieta de restrição alimentar.

O cirurgião pode lipoaspirar cada área enquanto a gordura sai amarela ou com pouco sangue. Se estiver muito sanguínea deve-se encerrar a aspiração nesta área. Isto dificulta afinar a camada de gordura de pacientes obesos ou mesmo com sobrepeso, que poderão ter sobra de gordura em cada área aspirada.

Pacientes que já sofreram lipoaspiração têm a camada de gordura subcutânea entremeada de fibrose, isto é, tecido cicatricial. Numa nova intervenção, terão naquela área, maior sangramento e uma maior dificuldade de liberação de gordura.

Os resultados da lipoaspiração são individuais. Cada paciente tem suas particularidades: idade, flacidez, mulheres que já tiveram filhos, espessura da camada de gordura, lipoaspiração anterior etc. Após as fases de retração cutânea o cirurgião irá avaliar se houve áreas de assimetria (diferença de um lado para o outro) para providenciar a correção.

LIPOENXERTIA:

Na lipoescultura, o cirurgião reinjeta a gordura aspirada em outras regiões para preencher depressões ou aumentar o volume. Neste caso a coleta da goradura não será feita com o aparelho elétrico porque ele destrói mais as células gordurosas. O cirurgião fará a lipo com cânulas simples, irá lavar e filtrar a gordura antes de reaplicá-la em outra área. O volume de gordura enxertada é reabsorvido em cerca de 50% após 6 meses.

DRENAGEM LINFÁTICA

O tecido gorduroso subcutâneo, após lipoaspirado, torna-se esburacado e traberculado como uma esponja, que se encharca de sangue e fluidos corporais. Deve-se usar a malha compressiva no pós-operatório para comprimir esta região e cicatrizá-la apertada. A cinta deverá ser usada nas 24 horas do dia por no mínimo 30 dias. Nestas áreas edemaciadas, inchadas, as (os) pacientes deverão iniciar a drenagem linfática entre o 3° e o 5° dia de pós-operatário. Esta drenagem deve ser realizada por profissional apto, dia sim, dia não, nas primeiras 2 semanas (6 sessões), e a cada 3 dias nas outras 2 semanas do primeiro mês (+ 4 sessões). Após este período o médico irá avaliar o grau de edema residual para indicar ou não mais algum período de drenagem linfática e massagem.

Benefícios da Drenagem Linfática:

  • Reduz o edema descomprimindo a circulação venosa e linfática.

  • Aumenta a circulação arterial aumentando o fornecimento de oxigênio aos tecidos.

  • Reduz a tensão nas suturas acelerando a cicatrização.

  • Obtém cicatrizes da melhor qualidade.

  • Proporciona relaxamento e bem estar ao paciente.

Caso a (o) paciente não realize as drenagens, as áreas de fibrose internas poderão tornar-se endurecidas e ficarem nódulos permanentes. Também deverá manter postura correta do tronco de forma que não ocorra dobra transversal marcando a região do abdômen. Neste caso a (o) paciente deverá usar a placa rígida para não ter marcas permanentes.

As (Os) pacientes deverão adquirir também o creme pós-lipoaspiração para massagearem as áreas lipoaspiradas logo no primeiro dia após a cirurgia. Isto ajuda a reduzir o edema e consequentemente a dor. A dor leva à contração dos músculos abdominais que pode causar prisão de ventre. Esta, estufa o abdome e causa mais dor, entrando num ciclo. Portanto, se o intestino não funcionar logo no primeiro dia, a (o) paciente deverá tomar óleo mineral para soltar o intestino.

Após cerca de 30 a 45 dias as áreas lipoaspiradas provavelmente já estarão desinchadas. Em algumas áreas haverá nódulos, que são consequência do processo cicatricial. Nos nódulos será necessária uma massagem localizada para o alisamento e desmanchá-los. Após esta fase de inchaço, verifica-se alto grau de flacidez da pele. As (Os) pacientes com muita flacidez deverão continuar o uso da malha compressiva, se necessário, por até mais 2 meses. A pele vai lentamente se retrair por um período de 2 a 6 meses, dependendo de fatores como: idade, grau de flacidez anterior à cirurgia e quantidade de gordura aspirada.

PRÉ E PÓS CIRURGIA:

No dia da cirurgia a (o) paciente deverá comparecer em jejum total de 8 horas.

O médico deve ser informado de todas as enfermidades da (o) paciente como alergias, medicações em uso, doenças crônicas ou cirurgias anteriores.

É proibido à (ao) paciente ingerir ácido acetil salicílico (Aspirina, A.A.S., Melhoral, Sonrisal…) ao menos 10 dias antes da cirurgia. O A.A.S. altera a agregação plaquetária e pode causar hemorragia abundante na cirurgia.

Medicações para hipertensão arterial devem ser mantidas inclusive na manhã do dia da cirurgia, e serem tomadas apenas com um gole d’água.

Medicações para emagrecimento como anfetaminas (anfepramona, femproporex) e sibutramina etc, deverão ser interrompidas pelo menos uma semana antes da cirurgia.

Serão realizadas fotografias em vários ângulos das áreas da lipoaspiração, e o cirurgião irá rabiscar no corpo os detalhes da cirurgia.

As cirurgias serão realizadas em centro cirúrgico completo com todos os recursos necessários às urgências e emergências. Após a cirurgia a (o) paciente será encaminhada(o) ao leito onde permanecerá por mais algumas horas. Quando estiver consciente, orientada(o) e em boas condições receberá uma dieta leve e será encaminhado(a) ao leito.

No pós-operatório a(o) paciente deverá tomar as medicações receitadas (antibióticos, as injeções de antitrombótico, analgésicos, reposição de sulfato ferroso etc.) e se hidratarem muito bem. Deverá tomar uma quantidade grande de líquidos por dia nos primeiros dias ( 1 a 3 litros), até verificar que o xixi esteja amarelo claro. Tontura e boca seca são sinais de desidratação. A principal complicação da cirurgia é a trombose venosa e o uso de meias elásticas por até 20 dias ajuda a evitá-la.

Os pontos deverão ser retirados entre 7 a 10 dias. Enquanto houver manchas roxas (equimoses) ou marrons não poderá se expor ao Sol. As cicatrizes, que são de até 1 cm, se mantém avermelhadas por um período de 6 a 10 meses. Nesta fase, deverão se protegidas com bloqueador solar para não ficarem manchadas de marrom.

Dr. Ricardo Serra Franchini