Recomendações Importantes

Confira as recomendações que separamos para o procedimento cirúrgico. Organize-se para o período pós-operatório. Veja quem poderá ajudá-la(o) nos primeiros dias:

  • Discutir com o cirurgião o tempo de recuperação da cirurgia, a localização e tamanho das cicatrizes.
  • Providenciar os exames pré-operatórios pedidos pelo médico.
  • Internar-se no hospital obedecendo ao horário e jejum.
  • Fazer jejum de 8 horas antes da cirurgia, inclusive de água e chiclete. A última refeição deverá ser leve.
  • NÃO INGERIR A.A.S. (Aspirina, Melhoral, Coristina), ou qualquer medicamento que contenha Ácido Acetil Salicílico, por 10 dias antes da cirurgia.
  • NÃO INGERIR bebidas alcoólicas 24h antes da cirurgia.
  • Se você fuma, dê uma parada 1 semana antes e 1 semana depois da cirurgia. A nicotina e outras substâncias do cigarro dificultam a cicatrização da pele porque causa constrição da circulação sanguínea.
  • Só mantenha o uso de medicamentos anticoncepcionais e para controle de pressão, mas avise a equipe médica.
  • Evitar todo medicamento para emagrecer que eventualmente esteja utilizando, por um período de 7 dias antes do ato cirúrgico.
  • Comunicar até a véspera da operação em caso de gripe ou febre.
  • No dia da cirurgia vista roupas confortáveis e fáceis de trocar.
  • Não ir com joias e relógio, tirar o esmalte das unhas e não usar maquiagem.
  • Após a cirurgia, voltar ao consultório para os curativos, nos dias e horários agendados.
  • Alimentação livre, mas leve na primeira semana após a cirurgia.
  • Realizar as sessões de drenagem linfática quando indicadas pelo cirurgião.

Benefícios da Drenagem Linfática:

  • Reduz o edema descomprimindo a circulação venosa.
  • Aumenta a circulação arterial e o fornecimento de oxigênio aos tecidos acelerando a cicatrização
  • Reduz a tensão nas suturas obtendo cicatrizes da melhor qualidade
  • Proporciona relaxamento e bem estar ao paciente

– Cuidado: Nem todos os profissionais que dizem saber fazer drenagem linfática, a sabem. Massagem não é drenagem. Uma drenagem mal feita compromete os resultados finais de uma cirurgia.

– Provavelmente você estará se sentindo tão bem, a ponto de esquecer que foi operada recentemente. Cuidado! A euforia poderá levá-la a um esforço inoportuno, o que determinará certos transtornos.

– Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases do pós-operatório. Tire com seu cirurgião quaisquer dúvidas.

Programação Cirúrgica

Ao submeter-se a uma cirurgia plástica a(o) paciente deverá passar por algumas etapas para garantir 100% do aproveitamento em todo o processo do procedimento cirúrgico. Confira a programação:

  1. CONSULTA MÉDICA – É indispensável. Após ter a história médica e o exame físico, o cirurgião indicará a conduta para cada caso.
  2. EXAMES PRÉ-OPERATÓRIOS – Podem variar conforme a idade da(o) paciente e suas doenças associadas. Para próteses mamárias é necessária a mamografia (Raio X). Exames com resultados anormais podem requerer novos exames. Acima dos 60 anos é necessária avaliação prévia por um cardiologista.
  3. ORÇAMENTO
  4. AGENDAMENTO DA CIRURGIA – Leia “Recomendações Importantes”
  5. CONTRATO DE SERVIÇOS – PAGAMENTO
  6. FOTOS PRÉ-OPERATÓRIAS
  7. TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO
  8. DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADES
  9. AVALIAÇÃO PRÉ-ANESTÉSICA
  10. CIRURGIA
  11. *1º RETORNO: (2º AO 6º DIA) – Revisão, retirada de drenos
  12. DRENAGEM LINFÁTICA – Após lipoaspiração, iniciá-la entre o 3º e o 5º dia
  13. *2º RETORNO: (7º AO 10º DIA) – Troca do curativo, retirada de pontos
  14. *3º RETORNO: (11º AO 15º DIA) – Revisão, retirada de pontos
  15. *REVISÃO DE 30 DIAS: Fotos pós-operatórias
  16. *REVISÃO DE 3 MESES: Fotos pós-operatórias

*Os curativos deverão ser realizados diariamente pela(o) paciente e o cirurgião irá orientá-la(o) muito bem sobre isso.

*Os curativos realizados pelo cirurgião, os retornos, as revisões e as fotos variam. Portanto não é certa a quantidade de vezes que a(o) paciente deverá retornar ao consultório. O cirurgião poderá agendar mais datas conforme a evolução pós-operatória de cada paciente.

Informação da consulta para lipoaspiração

INFORMAÇÕES MÉDICAS DA CONSULTA PARA LIPOASPIRAÇÃO

Lipoaspiração é a cirurgia de sucção de gordura corporal subcutânea.

ÁREAS CORPORAIS POSSÍVEIS PARA LIPOASPIRAÇÃO

As áreas corporais que serão lipoaspiradas são escolhidas pela(o) paciente em acordo com o médico. O cirurgião pode lipoaspirar as seguintes regiões:

  • Abdômen: periumbilical, epigastro (região do estômago) e hipogastro (abaixo do umbigo)

  • Cintura: lateral do tronco: “pneus”

  • Flancos: laterais do tronco, acima dos “pneus”

  • Culotes: laterais dos glúteos, parte alta das coxas

  • Púbis (monte de Vênus)

  • Subglúteos: quando houver dobras abaixo dos glúteos, atrás das coxas

  • Coxas: regiões internas entre as pernas

  • Joelhos: áreas internas e posteriores

  • Costas: lateral das mamas para trás

  • Braços: face interna, abaixo das axilas

  • Submento (queixo) e pescoço

  • Região peitoral (homens), e mamas (em alguns casos)

  • Região sacral: acima do bumbum

Para cirurgias em apenas uma destas regiões o cirurgião poderá optar pela anestesia local, aquela quando o cirurgião aplica diretamente o anestésico na área que será lipoaspirada. Caso contrário, a anestesia peridural ou geral, aplicadas por um anestesista, será a melhor, podendo aspirar um pouco em cada uma das regiões.

O cirurgião utilizará um vibrolipoaspirador, aparelho elétrico que vibra a ponta de cânulas que variam de 2,5 a 5 mm de espessura, aspirando o tecido gorduroso. A camada de gordura aspirada corresponde somente a gordura subcutânea, aquela grudada sob a pele. Já a gordura visceral que está dentro do abdômen, junto às vísceras, é aquela que torna as pessoas barrigudas e só pode ser perdida com uma dieta de restrição alimentar.

O cirurgião pode lipoaspirar cada área enquanto a gordura sai amarela ou com pouco sangue. Se estiver muito sanguínea deve-se encerrar a aspiração nesta área. Isto dificulta afinar a camada de gordura de pacientes obesos ou mesmo com sobrepeso, que poderão ter sobra de gordura em cada área aspirada.

Pacientes que já sofreram lipoaspiração têm a camada de gordura subcutânea entremeada de fibrose, isto é, tecido cicatricial. Numa nova intervenção, terão naquela área, maior sangramento e uma maior dificuldade de liberação de gordura.

Os resultados da lipoaspiração são individuais. Cada paciente tem suas particularidades: idade, flacidez, mulheres que já tiveram filhos, espessura da camada de gordura, lipoaspiração anterior etc. Após as fases de retração cutânea o cirurgião irá avaliar se houve áreas de assimetria (diferença de um lado para o outro) para providenciar a correção.

LIPOENXERTIA:

Na lipoescultura, o cirurgião reinjeta a gordura aspirada em outras regiões para preencher depressões ou aumentar o volume. Neste caso a coleta da goradura não será feita com o aparelho elétrico porque ele destrói mais as células gordurosas. O cirurgião fará a lipo com cânulas simples, irá lavar e filtrar a gordura antes de reaplicá-la em outra área. O volume de gordura enxertada é reabsorvido em cerca de 50% após 6 meses.

DRENAGEM LINFÁTICA

O tecido gorduroso subcutâneo, após lipoaspirado, torna-se esburacado e traberculado como uma esponja, que se encharca de sangue e fluidos corporais. Deve-se usar a malha compressiva no pós-operatório para comprimir esta região e cicatrizá-la apertada. A cinta deverá ser usada nas 24 horas do dia por no mínimo 30 dias. Nestas áreas edemaciadas, inchadas, as (os) pacientes deverão iniciar a drenagem linfática entre o 3° e o 5° dia de pós-operatário. Esta drenagem deve ser realizada por profissional apto, dia sim, dia não, nas primeiras 2 semanas (6 sessões), e a cada 3 dias nas outras 2 semanas do primeiro mês (+ 4 sessões). Após este período o médico irá avaliar o grau de edema residual para indicar ou não mais algum período de drenagem linfática e massagem.

Benefícios da Drenagem Linfática:

  • Reduz o edema descomprimindo a circulação venosa e linfática.

  • Aumenta a circulação arterial aumentando o fornecimento de oxigênio aos tecidos.

  • Reduz a tensão nas suturas acelerando a cicatrização.

  • Obtém cicatrizes da melhor qualidade.

  • Proporciona relaxamento e bem estar ao paciente.

Caso a (o) paciente não realize as drenagens, as áreas de fibrose internas poderão tornar-se endurecidas e ficarem nódulos permanentes. Também deverá manter postura correta do tronco de forma que não ocorra dobra transversal marcando a região do abdômen. Neste caso a (o) paciente deverá usar a placa rígida para não ter marcas permanentes.

As (Os) pacientes deverão adquirir também o creme pós-lipoaspiração para massagearem as áreas lipoaspiradas logo no primeiro dia após a cirurgia. Isto ajuda a reduzir o edema e consequentemente a dor. A dor leva à contração dos músculos abdominais que pode causar prisão de ventre. Esta, estufa o abdome e causa mais dor, entrando num ciclo. Portanto, se o intestino não funcionar logo no primeiro dia, a (o) paciente deverá tomar óleo mineral para soltar o intestino.

Após cerca de 30 a 45 dias as áreas lipoaspiradas provavelmente já estarão desinchadas. Em algumas áreas haverá nódulos, que são consequência do processo cicatricial. Nos nódulos será necessária uma massagem localizada para o alisamento e desmanchá-los. Após esta fase de inchaço, verifica-se alto grau de flacidez da pele. As (Os) pacientes com muita flacidez deverão continuar o uso da malha compressiva, se necessário, por até mais 2 meses. A pele vai lentamente se retrair por um período de 2 a 6 meses, dependendo de fatores como: idade, grau de flacidez anterior à cirurgia e quantidade de gordura aspirada.

PRÉ E PÓS CIRURGIA:

No dia da cirurgia a (o) paciente deverá comparecer em jejum total de 8 horas.

O médico deve ser informado de todas as enfermidades da (o) paciente como alergias, medicações em uso, doenças crônicas ou cirurgias anteriores.

É proibido à (ao) paciente ingerir ácido acetil salicílico (Aspirina, A.A.S., Melhoral, Sonrisal…) ao menos 10 dias antes da cirurgia. O A.A.S. altera a agregação plaquetária e pode causar hemorragia abundante na cirurgia.

Medicações para hipertensão arterial devem ser mantidas inclusive na manhã do dia da cirurgia, e serem tomadas apenas com um gole d’água.

Medicações para emagrecimento como anfetaminas (anfepramona, femproporex) e sibutramina etc, deverão ser interrompidas pelo menos uma semana antes da cirurgia.

Serão realizadas fotografias em vários ângulos das áreas da lipoaspiração, e o cirurgião irá rabiscar no corpo os detalhes da cirurgia.

As cirurgias serão realizadas em centro cirúrgico completo com todos os recursos necessários às urgências e emergências. Após a cirurgia a (o) paciente será encaminhada(o) ao leito onde permanecerá por mais algumas horas. Quando estiver consciente, orientada(o) e em boas condições receberá uma dieta leve e será encaminhado(a) ao leito.

No pós-operatório a(o) paciente deverá tomar as medicações receitadas (antibióticos, as injeções de antitrombótico, analgésicos, reposição de sulfato ferroso etc.) e se hidratarem muito bem. Deverá tomar uma quantidade grande de líquidos por dia nos primeiros dias ( 1 a 3 litros), até verificar que o xixi esteja amarelo claro. Tontura e boca seca são sinais de desidratação. A principal complicação da cirurgia é a trombose venosa e o uso de meias elásticas por até 20 dias ajuda a evitá-la.

Os pontos deverão ser retirados entre 7 a 10 dias. Enquanto houver manchas roxas (equimoses) ou marrons não poderá se expor ao Sol. As cicatrizes, que são de até 1 cm, se mantém avermelhadas por um período de 6 a 10 meses. Nesta fase, deverão se protegidas com bloqueador solar para não ficarem manchadas de marrom.

Dr. Ricardo Serra Franchini

Código de Publicidade Médica

Códigos de ÉTICA e PUBLICIDADE MÉDICAS

Todos os médicos devem seguir as normas dos códigos de conduta estabelecidos pelo Conselho Federal de Medicina – CFM. Entre as obrigações, seguem:

Capítulo IPRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

IX – A Medicina não pode, em nenhuma circunstância ou forma, ser exercida como comércio.

X – O trabalho do médico não pode ser explorado por terceiros com objetivos de lucro …

Capítulo XIIIPUBLICIDADE MÉDICA

É vedado ao médico:

Art. 116. Participar de anúncios de empresas comerciais qualquer que seja sua natureza …

 A partir destes parágrafos do Código de Ética Médica (CEM) já se estabelece que os anúncios mais destacados na internet são antiéticos. Empresas comerciais que captam ou cooptam clientes para cirurgias plásticas desobedecem ao código, mas geralmente não são comandadas por médicos. Então não estão sujeitas a estas proibições. PORÉM, os médicos que trabalham para elas ESTÃO SIM infringindo ao código de boa conduta de sua profissão.

Ao mostrarem pacientes em fotos ou vídeos de ato cirúrgico na internet, que é local público, também desobedecem o :

 Manual de publicidade médica (MPM) – Resolução CFM nº 1.974/11

 Art. 3º É vedado ao médico:

g) Expor a figura de seu paciente como forma de divulgar técnica, método ou resultado de tratamento, ainda que com autorização expressa do mesmo …

MÉDICOS também não podem se autopromoverem em qualquer mídia pública:

Manual de publicidade médica (MPM) – Resolução CFM nº 1.974/11

 Art. 9º Por ocasião das entrevistas, comunicações, publicações de artigos e informações ao público, o médico deve evitar sua autopromoção e sensacionalismo, preservando, sempre, o decoro da profissão.

 Na relação dos médicos com a imprensa (programas de TV e rádio, jornais,  revistas), no uso das redes sociais …

É VEDADO ao médico,

 a) divulgar endereço e telefone de consultório, clínica ou serviço;

 l) anunciar aparelhagem ou utilização de técnicas exclusivas como forma de se atribuir capacidade privilegiada;

n) consultar, diagnosticar ou prescrever por qualquer meio de comunicação de massa ou à distância;

 o) expor a figura de paciente como forma de divulgar técnica, método ou resultado de tratamento;

 q) ofertar serviços por meio de consórcios ou similares, bem como de formas de pagamento ou de uso de cartões/cupons de desconto.

Anexo I

6. Das proibições gerais

De modo geral, na propaganda ou publicidade de serviços médicos e na exposição na imprensa ao médico ou aos serviços médicos É VEDADO:

I – usar expressões tais como “o melhor”, “o mais eficiente”, “o único capacitado”, “resultado garantido” ou outras com o mesmo sentido;

 XIV – divulgar preços de procedimentos, modalidades aceitas de pagamento/parcelamento ou eventuais concessões de descontos como forma de estabelecer diferencial na qualidade dos serviços;

Isso mesmo. Divulgar preços, ofertas ou formas de pagamento, configura comércio da medicina, e é proibido.

 

Cicatrizes hipertróficas e queloides

Tanto a cicatriz hipertrófica como o queloide são tumores benignos formados por tecidos fibrosos. Em alguns casos torna-se difícil a diferenciação clínica entre estes dois tipos de cicatriz.

DIFERENÇAS PRINCIPAIS

Cicatriz Hipertrófica

  • Grossa e avermelhada
  • Apresenta coceira e eventualmente dor
  • Não ultrapassa os limites da incisão
  • Para de crescer e regride com o tempo
  • Pode regredir com compressão e massagens
  • Ocorre em todas as raças

Cicatriz Queloideana

  • Muito grossa e violácea
  • Apresenta coceira, dor e ardor
  • Ultrapassa os limites da incisão como um tumor
  • Não regride e continua crescendo
  • Recidiva frequentemente
  • Geralmente não cede a compressão e massagens
  • Mais frequente em negros e asiáticos

Existem algumas regiões do corpo em que o queloide apresenta uma incidência maior:

Máxima: costas, região do esterno.
Acentuada: orelhas, tórax, ombros, abdômen.
Média: região da barba, axilas, púbis, região inguinal.
Mínima: couro cabeludo, membros superiores e inferiores, glúteos.
Zero: terço médio da face, genitais, região lombar, palma das mãos e planta dos pés.

A cicatriz é inevitável na maioria das cirurgias plásticas. O cirurgião deverá usar técnica apropriada para limitá-la a um tamanho menor possível e com a melhor qualidade estética, mas às vezes, isso não é possível. O retoque da cicatriz quando ela estiver hipertrófica pode ser necessário.

O cirurgião não deve operar pacientes com expectativas irreais, do tipo: “Quero operar a mama, mas não quero cicatriz nenhuma”.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, quando a cicatriz é avermelhada e um pouco grossa, não se trata de queloide mas de cicatriz hipertrófica, que pode melhorar com o tempo e às vezes através de outra cirurgia.
Os queloides são raros, seu tratamento é difícil e as recidivas, frequentes. Alguns tratamentos que podem ser eficazes nas cicatrizes hipertróficas, como: compressão externa com ou sem silicone gel, injeção de cortisona e remoção cirúrgica total, não o são para os queloides. O método mais eficaz para tratá-los é a remoção parcial por cirurgia, com cuidado para não aumentar a área e pode ser associado à radioterapia dentro das primeiras 48 horas.

As pessoas de pele mais escura possuem uma tendência maior a desenvolver queloides que aquelas de pele mais clara. Há também uma história familiar positiva em 5-10% dos europeus que desenvolveram queloides. Os queloides são raros na infância e na velhice, ocorrendo principalmente entre a puberdade e os 30 anos. As mulheres possuem maior tendência, e os queloides podem aumentar durante a gravidez. Uma atitude prudente seria evitar-se qualquer cirurgia eletiva ou a colocação de piercings em pessoas de pele escura, ou que já desenvolveram queloides no passado.

Para evitar ou amenizar o queloide é possível fazer a betaterapia que é uma radioterapia que busca atenuar ou diminuir a produção de colágeno pelos fibroblastos. A utilização da injeção intralesional de corticosteróides em geral produz excelentes resultados.

Pode haver uma certa dificuldade inicial em se injetar o medicamento devido à rigidez das lesões. À medida que estas se tornam menos sólidas e elevadas, a injeção se torna mais fácil.